Por que nos endividamos

Atualizado: 6 de Dez de 2020

É estranho pensar que temos algum motivo para que nos endividemos, porém o que ocorre na maioria das vezes é algo automático, que irracionalmente nos leva a tomar atitudes que quando nos damos conta, já é tarde demais para voltar atrás.


No decorrer destas linhas vou lhe contar o que faz com que cada vez mais pessoas se endividem, qual é o principal motivo que leva alguém a pedir empréstimos, porque o cartão de crédito é um vilão e não um facilitador financeiro, porque pessoas usam o limite do banco.


Em um artigo publicado pelo CNC em maio de 2020, o número de pessoas endividadas no Brasil é de 66,5% dos consumidores, isto é, 7 em cada 10 pessoas estão endividadas com empréstimos, cartões de crédito, limite do cheque especial, carnês de lojas, financiamentos, entre outros.

Mas a qual é o motivo deste endividamento?



Hoje, após ter superado a pior faze da minha vida, consigo olhar para trás e ver o que realmente causou o meu afundamento em dívidas, e garanto que é muito difícil quem está endividado ou a caminho, notar que algo tão simples e de certa forma desnecessário, nos faz recorrer a empréstimos ou qualquer outra facilidade de ter dinheiro.

Certamente, a dívida não é um benefício apenas de pessoas de baixa renda, muitas pessoas que tem um padrão de nível alto também estão inclusas na contagem do Peic 2020 conforme artigo citado acima.


Agora, vos pergunto, será que todos os gastos feitos até o ponto de ir em busca de empréstimos, limites ou parcelar cartões são realmente de necessidade básica?

Pois então, conforme o livro Do Mil ao Milhão menciona, a maioria das pessoas se endivida por antecipar sonhos.

Mas o que isso quer dizer?

A sociedade induz muitas pessoas a caírem e sem se dar conta, na realização precoce, onde você precisa começar a trabalhar para ter um carro, uma casa, carteira de motorista, vestir-se bem e em muitos casos parecer ser alguém que não condiz com sua realidade financeira.

Vejamos, no Brasil um jovem só pode começar a trabalhar aos 16 anos de idade, e normalmente com um salário mínimo que hoje em 2020 é de R$ 1.045,00, em uma situação em que os pais consigam manter a estabilidade do filho sem que ele precise assumir aluguel, água luz e outros gastos fixos, na melhor das hipóteses este jovem poderá investir pelo menos 70% do seus ganhos, isto é, R$ 731,00.

Se este jovem aplicar este valor e ter como retorno o juro da taxa selic que hoje em novembro de 2020 está em 2% anual, poderá chegar aos seus 18 anos com uma reserva de R$ 17.781,14, porém ao chegar nos seus 18 anos este jovem vai ter que decidir se vai fazer uma faculdade, comprar um carro ou dar entrada em um apartamento.

Note que hoje no Brasil a carteira de motorista apenas para carro, e segundo o site do Detran-RS, tem o custo de R$ 2.359,02, o que sobra R$ 15.422,12 para que este jovem compre um veículo para ter seu próprio transporte ou pague a vista o seu primeiro semestre da faculdade obtendo um bom desconto.

O caso acima é uma hipótese muito otimista já que no brasil não recebemos educação financeira na escola, e normalmente queremos seguir o caminho mais fácil para conseguir bens passivos, que são aqueles que não vão trazer dinheiro de volta a você.

Seguindo este raciocínio, o jovem é levado a ter dinheiro para festas, boas roupas, carros e se possível seguir estudando, note que isso já ocorre desde o momento em que se começa a trabalhar.

Este padrão de vida, e muitas vezes o anceio de querer acompanhar amigos e pessoas próximas em gastos desnecessário, faz que em momentos de necessidade bem como, saúde ou contas fora de um planejamento venham a porta, e uma forma fácil de solucionar este empecilho, vai ser fazer o primeiro empréstimo, a utilização do limite da conta corrente, ou o parcelamento do cartão de crédito.

Observe que não é apenas a antecipação de sonho que vai levar alguém a se endividar, há 3 motivos que podem levar uma pessoa a se a cavar seu própio buraco, onde uma delas é a antecipação de sonhos, que é adquirir algo parcelado em inúmeras vezes, pagando juros sobre algo, a aquisição normalmente é um carro, apartamento, casa ou até um smartphone parcelado em 48x.

Outra forma de se endividar é querer aparentar uma situação financeira que não condiz com a receita que entra mensalmente, por exemplo, se uma pessoas recebe o valor de R$ 1.045,00, porém só compra roupas e acessório de marcas que custam caro, assim vai demonstrar ser uma pessoa bem vestida e que tem um bom salário, porém a realidade é que esta pessoa gasta todo seu salário em coisas desnecessárias e não tem um investimento para casos de emergência, o que o levara a empréstimos e dividas no cartão de crédito.

A última situação que pode levar uma pessoa a se endividar é a simples falta de um planejamento do seu orçamento, aqui é gasto todos os recebíveis sem nenhum controle, porém quando faltar dinheiro e não se ter da onde retirar, qual será a opção desta pessoa se não recorrer a financiamentos?

Pois bem, conforme pesquisas feitas por jornais como G1, R7 e a Folha de São Paulo, as pessoas que utilizam empréstimos, cartões ou limites, não os usam para necessidades e sim para adquirir coisas supérfluas que perdem seu valor tão rápido quanto a pessoa perdeu seu dinheiro.

Veja que, utilizar cartão de crédito ou fazer um empréstimo não é o problema em si, o que vai trazer problemas é o motivo para qual será utilizando estes meios de obter dinheiro ou crédito.

Para finalizar, deixo uma dica muito importante, não pense nas suas contas como algo mensal, coloque tudo no papel e veja o real valor do que você vai adquirir e o tempo que vai levar para pagar, compare isso com o valor que pagará caso for comprado à vista.

Muitas vezes por não guardarmos um montante pequeno por um curto período nos faz perder dinheiro que nunca mais será recuperado.

Se você leu até aqui, parabéns, você realmente quer mudar sua vida financeira, e com isso quero te pedir um favor, deixe seu comentário abaixo se este post ajudou você de alguma forma.

Posts recentes

Ver tudo

Giovane Carpes

Farroupilha-RS